• Erika Thinen

Sororidade! Isso vai mudar o mundo



A Sororidade é um termo relativamente novo, ainda nem consta em alguns dicionários da língua portuguesa. Ela é a correspondente feminina da palavra Fraternidade, a prefixo “soror” se refere a Irmã.

Ela define um sentimento de união verdadeira entre as mulheres em busca de uma sociedade mais justa com equânime. Não é uma questão exclusiva do feminismo, e sim, é reconhecer que todas as mulheres enfrentam uma sociedade machista e patriarcal, e serem solidárias umas com as outras, sem rivalidade e julgamento.

A história nos mostra o quanto fomos educadas para perpetuar a rivalidade entre as mulheres. Aprendemos desde cedo que temos que ser a mais bonita, a mais educada, a mais inteligente, para conseguir sucesso e um bom homem, em detrimento do reconhecimento e admiração do trabalho de outras mulheres, criando padrões de beleza inatingíveis, e se sujeitado a uma competição pela posse do “melhor homem”.

A sororidade é importante para percebermos esses padrões e lutarmos contra esse estereótipo feminino. O respeito a todo ser humano é básico, mas o segredo da sororidade é olhar para outra mulher e ver uma parte de você refletida nela, e sentir o impulso de acolhê-la.

Isso de forma nenhuma significa que uma mulher tem que ser amiga de todas as mulheres, defendê-las a qualquer custo, e concordar com tudo, ou pior ainda, ser contra os homens. O grupo feminino é muito estratificado com histórias e realidades muito diferentes umas das outras, é normal que uma mulher não se identifique e entenda a situação de outra. O conceito central é a união pelo “SER MULHER” independente de raça, idade, classe social, posição política, orientação sexual, ou se é CIS ou Trans Gênero.

Ok! O discurso é lindo, mas sendo assim o que eu posso fazer na prática?

-Não julgue e não critique outras mulheres, principalmente as que vivem uma realidade diferente da sua. Respeite as escolhas e o modo de ser de outras mulheres.

-Acolha. Tenha empatia. Não desqualifique a dor de outra mulher, não tente criar soluções vazias, não palpite, só escute e esteja presente.

-Valorize outra mulher! Mas seja sincera, e não bajuladora. Achou bonita, elogie-a. Ela caiu do salto, não a constranja. Ela errou, não a exponha. Se ela trabalha bem, divulgue-a. Tem potencial, ofereça uma oportunidade.

-Apoie! Com certeza você tem algo para oferecer! Faça parte de redes de apoio, compartilhe seu conhecimento e experiência. Grupo de mães, empreendedoras, mercado de trabalho, carreira, como cuidar de uma casa, educação financeira, investimentos, viagens, segurança, saúde, beleza, moda, relacionamentos, amor, sexualidade... as possiblidades são infinitas.

-Não seja contra os homens, mas ataque atitudes machistas e sexistas, que podem vir de homens e mulheres! Eduque suas crianças, seus alunos para incentivar as reflexões sobre os gêneros, promover a equidade, estimular a empatia e fortalecer o empoderamento feminino.

A sororidade vai mudar o mundo como o conhecemos, esse é o legado que vamos deixar para as futuras gerações!


Por Erika Thinen

Sexóloga, Terapeuta sexual e idealizadora da Lilith Lounge